segunda-feira, 8 de Abril de 2013

Um conselho para Passos Coelho


Antes das eleições estava certo, depois das eleições esteva errado, neste momento ao querer aplicar uma cura, a um doente que não quer ser curado, quer dizer que está... sem noção, por isso aqui fica o conselho:

Fazer o que é melhor para o povo é para ditadores ou grandes estadistas, os democratas e os 'produtos' da sociedade da comunicação e das 'jotinhas' devem fazer o que o povo deseja. Se o povo quer outro caminho, ou faz uma revolução à maneira de Estaline ou sai de cena. 

Em democracia, não se pode governar contra a vontade popular seja esta boa ou má!

Para terminar, diga aí ao amigo Gaspar que considere este conselho uma Contribuição Extraordinária de Solidariedade.






quinta-feira, 28 de Março de 2013

quinta-feira, 21 de Fevereiro de 2013

Miguel Relvas não sabe cantar....iô!!!

a escolha da imagem não é inocente



Quando a coordenação politica do governo está nas mãos de um ministro, nascido em 1961, que não sabe a letra e musica da "Grândola Vila Morena", do Zeca Afonso, ajuda a explicar muito do que se está a passar em Portugal. Essa ignorância explica ainda a incapacidade da personagem em tirar um curso superior sem equivalências absurdas: tem dificuldade em assimilar o que ouve. 
Quem nos anos 70 ouviu milhares de vezes (como ele é 'retornado' da ex-colónias são só milhares, se cá tivesse estado em Abril de 1974 seriam milhões de vezes) a canção que foi senha do 25 de Abril, tem de saber, de cor e salteado, não só essa canção como ainda a da a puta da gaivota que voava voava ou até a 'Internacional' e o 'Avante Camarada'. E nem vale a pena aquela desculpa do "Ah eu não sou comunista por isso não sei essas canções"... o meu filho não sabe coreano e sabe a letra e musica do GangnamStyle, de tanta vez que a ouviu.

Mas indo à parte politica que é o que importa aqui: Pela fragilidade do Relvas a politica deste governo é inversamente proporcional à do anterior em termos de comunicação mas é coincidente em termos de resultados: catastróficos

No tempo do Sócrates havia constantemente anúncios a coisas excelentes que não se concretizavam o que criava a sensação de que estávamos no bom caminho apesar de caminharmos para o abismo. 

Com a coordenação 'relvada' o país assiste todos os dias a anúncios de medidas difíceis, de cortes aqui e ali, sem que nada se concretize o que cria a sensação de que estamos a tomar medidas para inverter o rumo quando afinal caminhamos para o mesmo abismo.

A questão que se coloca é a seguinte: 
Valeu a pena sacrificar o Vitor Gaspar para salvar a pele do Relvas? O tal que nem a letra de "Grandola Vila Morena" sabe?



terça-feira, 5 de Fevereiro de 2013

De volta.


Quatorze meses depois apetece-me voltar a escrever sobre politica e outras merdas.

E não volto pelas mesmas razões dos restantes 9.999.999 tugas, não, eu acho mesmo que a austeridade é necessária porque não temos dinheiro, o que me chateia é que a austeridade não seja para todos de forma a que os demais sofram um nadinha menos. 

O BASTA ali em cima não é contra a chamada austeridade, o BASTA é contra o estado ladrão, o estado chulo, o estado social-fascista (porra, agora lembrei-me do MRPP).

O BASTA é contra um estado que olha com benevolência para banqueiros olvidados de declarar milhões mas obriga velhos reformados que ganham 300€ por mês, esses perigosos branqueadores de capitais, a entregar declaração de IRS não seja o caso de terem esquecido declarar algum prémio ganho na sueca ou no chinquilho. O facto desses perigosos velhos serem demasiado idoso para, por si próprios, preencher essas burocracias e terem de pagar 20 ou 25€ das suas laudas reformas a contabilistas para o fazerem, são coisas que não incomodam o burocrata de serviço. 

Levando em conta que existem quase um milhão e meio de reformados nessas condições o melhor seria obrigá-los a pagar 20€ cada um (olhem uma ideia: retirem-lhes na reforma, assim como assim ele vão ficar sem eles...) que sempre dará para pagar ao escritório de advogados que se lembrou desse articulado da lei.

Ahhh e uma coisa que gostava de pedir ao meus queridos e revoltados leitores: Deixem de chamar a esta cambada que nos governa de liberais ou neo-liberais.

Liberal sou eu... eles são corruptos!!! 


quarta-feira, 7 de Dezembro de 2011

O culpado nem é ele...


... foi quem o amparou 6 anos no poder!


Como é possivel que um individuo que diz uma coisa destas tenha sido seis anos primeiro-ministro de um país da Europa?


José Sócrates: “Pagar a dívida é ideia de criança”

O ex-primeiro-ministro José Sócrates comentou em Paris a crise na Europa, durante uma conferência com colegas universitários da Sciences Po, onde estuda Ciência Política. "Para pequenos países como Portugal e Espanha, pagar a dívida é uma ideia de criança. As dívidas dos Estados são por definição eternas. As dívidas gerem-se. Foi assim que eu estudei", disse.

Verdade que ele disse: "foi assim que eu estudei". O que os colegas não deviam saber é que ele aprendeu isso por fax e ao domingo

quinta-feira, 17 de Novembro de 2011

Bater no ceguinho



Eu acho que este Lima é da mesma raça do Vara, do Loureiro e do Sócrates mas o que aconteceu hoje leva-me a fazer a seguinte pergunta:

Foi preciso ter caído em desgraça no Brasil para que o processo de burla ao BPN avançasse e que fosse detido? 

Está visto que a nossa justiça só 'bate no ceguinho'. Resta-nos esperar que o Pinto de Sousa mate alguém além-mar para que seja investigada a sério as off-shores que são noticia.